Clique na figura ao lado ou no título acima para acesso aos filmes listados abaixo através de link externo. Nenhum destes filmes fazem parte dos arquivos deste site.

1) "Trumbo-A lista Negra" - Filme de 2016. Um bom filme para assistir nestes tempos de macartismo jurista no Brasil. Assim como o senador McCarthy foi para o lixo da História, assim também vai acontecer com Moro e seus comparsas do judiciário. "O longa conta a história de Dalton Trumbo, um roteirista de sucesso nos tempos de ouro de Hollywood, mas como membro do partido comunista americano foi considerado uma ameaça e colocado na famosa lista negra americana, que tinha nomes de milhares pessoas que trabalhavam no ramo do entretenimento e por seu envolvimento subversivo e antiamericano estariam colocando sutis propagandas comunistas nos filmes hollywoodianos. Injustiçados, esses profissionais foram presos e depois impedidos de continuarem trabalhando no ramo. Trumbo foi um dos que se rebelaram contra esse sistema, e através de uma série de pseudônimos continuou escrevendo para os estúdios cinematográficos, recebendo até um Oscar por um de seus scripts, ironizando de vez a lista negra dos EUA. O filme conta toda essa trajetória do polêmico e corajoso Dalton Trumbo, mostrando seu envolvimento, mesmo na sarjeta hollywoodiana, com obras-primas do cinema como Spartacus (1960), Êxodos (1960), A Princesa e o Plebeu (1953)." Detalhes técnicos: Data de lançamento: 28 de janeiro de 2016 (2h 04min) / Direção: Jay Roach / Elenco: Bryan Cranston, Diane Lane, Helen Mirren / Nacionalidade: EUA"

Please reload

Clique na figura ao lado ou no título acima para acesso aos filmes listados abaixo através de link externo. Nenhum destes filmes fazem parte dos arquivos deste site.

1) "Trumbo-A lista Negra" - Filme de 2016. Um bom filme para assistir nestes tempos de macartismo jurista no Brasil. Assim como o senador McCarthy foi para o lixo da História, assim também vai acontecer com Moro e seus comparsas do judiciário. "O longa conta a história de Dalton Trumbo, um roteirista de sucesso nos tempos de ouro de Hollywood, mas como membro do partido comunista americano foi considerado uma ameaça e colocado na famosa lista negra americana, que tinha nomes de milhares pessoas que trabalhavam no ramo do entretenimento e por seu envolvimento subversivo e antiamericano estariam colocando sutis propagandas comunistas nos filmes hollywoodianos. Injustiçados, esses profissionais foram presos e depois impedidos de continuarem trabalhando no ramo. Trumbo foi um dos que se rebelaram contra esse sistema, e através de uma série de pseudônimos continuou escrevendo para os estúdios cinematográficos, recebendo até um Oscar por um de seus scripts, ironizando de vez a lista negra dos EUA. O filme conta toda essa trajetória do polêmico e corajoso Dalton Trumbo, mostrando seu envolvimento, mesmo na sarjeta hollywoodiana, com obras-primas do cinema como Spartacus (1960), Êxodos (1960), A Princesa e o Plebeu (1953)." Detalhes técnicos: Data de lançamento: 28 de janeiro de 2016 (2h 04min) / Direção: Jay Roach / Elenco: Bryan Cranston, Diane Lane, Helen Mirren / Nacionalidade: EUA"

Please reload

Escolha o vídeo clicando no seu título.. Nenhum dos vídeos fazem parte dos arquivos deste site. Ele apenas remete a links externos.

 

1) Era o hotel Cambridge (2017)

Premiado com o Prêmio do Público de melhor filme brasileiro na 40ª Mostra de SP, o título dirigido por Eliane Caffé acompanha o dia a dia de uma ocupação de um antigo hotel no centro da capital paulista. Ali compartilham o mesmo espaço membros de um grupo de sem-tetos com refugiados vindos de uma série de locais do mundo. Era o Hotel Cambridge faz um registro dessa resistência pelo direito a moradia aliado ao drama de indivíduos que são incapazes de se encaixar numa outra sociedade por uma série de conjunturas políticas e econômicas. Para esses dois grupos o que sobra é o desamparo, captando um espírito de um país que não consegue assegurar os direitos mais básicos de seus cidadãos. Um filme em que a desilusão de um período de crise política, econômica e social é totalmente presente."

​2) Aquarius (2017)

Filme brasileiro de Kleber Mendonça Filho, mesmo diretor de "O som ao redor". "Essa é a violência de que trata o filme: a violência de um padrão (habitacional, decerto, mas também de experiências) que se impõe e destrói subjetividades e vínculos, e não necessariamente a história que nos contam os objetos impregnados de vivências e que nos servem de dispositivos e aparadores das memórias." (Matheus Pichonelli)

​3) Sinfonia da necrópole (2016)

"Realmente, um fator que salta aos olhos em Sinfonia da Necrópole, primeiro longa-metragem solo de Juliana Rojas, é a sua originalidade. Filmada majoritariamente dentro de um cemitério de São Paulo, a obra é uma comédia musical com toques de suspense e terror." "Já a partir do título é possível traçar um paralelo da necrópole (o cemitério) com a metrópole (no caso, a cidade de São Paulo). A reestruturação do local serve como metáfora para o que acontece em municípios com crescimento urbano desenfreado. A verticalização trazida pelos arranha-céus ganha correspondente nas modernas torres de caixões; os mortos mais pobres têm seus direitos infringidos, fato que poderia ser estendido para seus familiares; as mudanças ocorrem por ordens superiores arbitrárias; e assim por diante."

​4) Um lugar ao centro (2011) 
"O documentário discute problemas e propostas relacionados à ocupação do centro de São Paulo. São abordados os desafios dos movimentos sociais de moradia na luta por habitação popular e o complexo contexto do Projeto Nova Luz, que pretende requalificar uma parte da área central. Tensões entre direito à propriedade e desapropriação, possibilidades de ação e expectativas dos protagonistas do centro da cidade são colocadas em debate."

5) As mãos sobre a cidade (1963)

Filme italiano em branco e preto de 1963 com direção de Francisco Rosi. Um daqueles filmes fundamentais para compreender o cinema político italianos dos anos 60. "As Mãos sobre a Cidade é um clássico de denúncia da especulação imobiliária e uma reflexão madura sobre a corrupção política e seus elos com o empresariado. A cidade é Nápolis, devastada por empreendimentos imobiliários predatórios. Durante a demolição de um velho prédio, que deve ceder lugar a outro imóvel mais novo e rentável, uma parede desaba, matando dois homens e ferindo gravemente um menino. Edoardo Nottula (Rod Stiger), o dono do canteiro de obras, deveria ser responsabilizado, mas ele possui poderosas alianças políticas."

6) Vinhas da ira (1940)

Filme em branco e preto. É sobre a saga de uma família que perdeu a fazenda em vivia e teve de cair na estrada, em busca de outro local para morar. À frente da caravana há inimigos e exploradores da mão de obra alheia. Em atuação sincera e marcante, Henry Fonda encabeça o drama...Durante o filme várias temáticas são explicita ou implicitamente abordadas: a natureza de classe das leis e das autoridades (sempre em favor do capital e da propriedade privada), a importância das greves e da união dos trabalhadores, o desenvolvimento da corrupção moral dos homens perante o medo do desemprego, da fome, da falta de habitação, pois os trabalhadores e suas famílias ficavam frequentemente a habitar nos casebres das fábricas e latifúndios, emprestados pelos patrões que os chantageavam com o desalojamento, e aborda assuntos como a jorna, a migração… E Tom Joad não chega a perceber o porquê da miséria e da injustiça, está ainda confuso, em construção. Mas percebe o suficiente para se colocar do lado certo da barricada e que é necessário lutar."

7) À margem do concreto (2005)

À Margem do Concreto é um documentário de 2005 sobre os Sem-Teto e os movimentos de moradia na cidade de São Paulo. O filme acompanha a atuação de várias lideranças que promovem atos de ocupação na região central de São Paulo e que estão fazendo justiça social com as próprias mãos, conquistando a tão sonhada moradia para uma população miserável que não suporta mais viver em albergues e cortiços. À Margem do Concreto é o segundo documentário de uma tetralogia sobre São Paulo iniciada com À Margem da Imagem, sobre moradores de rua.

Please reload