Organizações de classe, Defensoria e MP realizaram fiscalização em hospitais conveniados para atender dependentes químicos e não encontraram fundamentos éticos e científicos.

Clique AQUI para assistir o vídeo de lançamento do Relatório e clique no link abaixo para acesso a reportagem da Rede Brasil Atual sobre este relatório. No final da reportagem há link para visualização e download do Relatório na íntegra.  

"Doria primeiro tentou recolher usuários à força das ruas para reduzir a população da cracolândia, mas foi derrotado na Justiça. Desde então, foram 842 encaminhamentos voluntários (por vontade do usuário) para desintoxicação em leitos psiquiátricos contratados pela prefeitura –até a semana passada, 108 desses viciados ainda estavam internados. Entre as 734 internações já concluídas ou interrompidas, só 122 (17%) delas foram levadas até o fim." (Jornal Folha de S. Paulo)

A ação casada do prefeito João Doria (PSDB) e Geraldo Alckmin (PSDB) na região da Cracolândia, iniciada no último dia 21, que tem entre seus principais eixos a internação compulsória de usuários de crack, aponta para a possibilidade de conflitos de interesses entre a política e a iniciativa privada, conforme acreditam especialistas e entidades. No último dia 27, sábado, o secretário municipal de Saúde, Wilson Pollara, publicou despacho em que autoriza a contratação de leitos de desintoxicação e de intervenção na crise para pacientes com problemas relacionados ao uso de álcool e outras drogas junto ao Hospital Cantareira e Casa de Saúde São João de Deus. / Veja no diário oficial do município, pág. 73, as resoluções a respeito de convênio com três clínicas. CLIQUE AQUI

O Ministério Público de São Paulo iniciou nesta quinta-feira (29/06) uma investigação para apurar a denúncia de um professor de 32 anos, dependente de álcool, que afirma ter sido internado em um hospital psiquiátrico contra sua vontade. Vivendo em situação de rua, este homem (cuja identidade será preservada na reportagem) já passou por diversos albergues e centros de acolhida próximos da região conhecida como Cracolândia — local de venda e consumo de drogas, sobretudo o crack, no bairro da Luz, centro de São Paulo. Ele é professor em projetos culturais e esportivos desenvolvidos com usuários de crack e moradores locais. (Reportagem da Ponte Jornalismo -  ponte.org)

Please reload